Gripe H1N1 – Sintomas, Tratamentos e Causas

publicidade:

A gripe H1N1 também é conhecida como gripe suína. É chamado de gripe suína porque no passado, as pessoas que pegaram tinha contato direto com porcos. O nome “gripe suína” foi inicialmente utilizado para descrever este tipo de gripe, porque os testes laboratoriais mostraram que esta estirpe do vírus da gripe foi composta de genes que eram muito semelhantes aos que causaram a gripe entre os suínos. Assim como os seres humanos, os porcos podem contrair a gripe.

No entanto, sabemos agora que o vírus da gripe H1N1 é composto de genes de vários vírus da gripe diferentes que normalmente circulam entre os porcos, aves e seres humanos. Esta estirpe foi a causa mais comum de gripe em 2009, quando causou doenças em todo o mundo ficando conhecida como (“pandemia”). Como outras cepas da gripe, H1N1 é altamente contagiosa, permitindo que se espalhe rapidamente de pessoa para pessoa. Um espirro simples pode causar milhares de germes que se espalham por todo o ar.

publicidade:

Gripe H1N1 - Sintomas, Tratamentos e Causas

publicidade:

Gripe H1N1 – Sintomas, Tratamentos e Causas

O melhor meio de lidar com a gripe suína é preveni-la. A higienização correta das mãos é importante para a propagação do vírus, permaneça longe das pessoas contaminadas isso, ajudará a parar a transmissão da pessoa-à-pessoa.

Fatores de risco para a gripe suína

Quando surgiu pela primeira vez, a gripe suína foi mais comum em adultos e jovens. Isso era incomum porque a maioria dos vírus da gripe ataca os mais velhos ou as crianças. Hoje, os fatores de risco para a gripe suína são os mesmos que para qualquer outro problema de saúde. Você está mais em risco se você passar o tempo em uma área com um grande número de pessoas que estão infectadas com a gripe suína.

Algumas pessoas são mais propensas a ficarem seriamente doentes se estiverem infectadas com a gripe suína. Esses grupos incluem:

  • Adultos com mais de 65 anos
  • Crianças menores de 5 anos
  • Jovens adultos menores de 19 anos que estão recebendo terapia de aspirina a longo prazo
  • Pessoas com sistemas imunológicos comprometidos (devido a uma doença como a AIDS)
  • Grávidas
  • Pessoas com doenças crônicas como asma, doenças cardíacas, diabetes ou doença neuromuscular.
Leia Também  Desenhos de páscoa para colorir - Imagens

Sintomas da gripe H1N1

H1N1 gripe possuem sintomas semelhantes aos de outras gripes, sendo que os sintomas da gripe H1N1 desenvolvem-se cerca de um a três dias após a exposição ao vírus.

Sintomas da gripe H1N1

Febre (mas nem sempre)
Tosse
Dor de garganta
Nariz escorrendo ou congestionado
Olhos vermelhos
Dores no corpo
Dor de cabeça
Fadiga
Diarréia
Nausea e vomito

Assim, como a gripe comum, a gripe suína pode levar a problemas mais graves, incluindo pneumonia, infecção pulmonar e outros problemas respiratórios. E isso pode tornar uma doença como diabetes ou asma pior. Se você tem sintomas como falta de ar, vômitos graves, dor na barriga ou nos lados, tontura ou confusão, procure o seu médico imediatamente.

Como aliviar os Sintomas de Gripe Suína

Descanse bastante, isso ajudará seu sistema imunológico a lutar contra a infecção.
Beba muita água e outros líquidos para evitar a desidratação. Sopa e sucos ajudará a repor ao seu corpo nutrientes perdidos.
Tome analgésicos para sintomas como dor de cabeça e dor de garganta.

Leia Também  Arroz á Grega Receita Mais Você, Ana maria Braga, Como Congelar

Prevenção da gripe suína

A melhor maneira de prevenir a gripe suína é obter uma vacina anual contra a gripe. Outras maneiras fáceis de prevenir a gripe suína incluem:

Lavar as mãos com sabão ou desinfetante com bastante frequência.
Não tocar em seu nariz, boca ou olhos (o vírus pode sobreviver em superfícies como telefones e mesas)
Ficar em casa do trabalho ou da escola se estiver doente
Evitando grandes encontros no inverno pois, é nesta estação que todos nós estaremos mais propensos a gripes e resfriados.

Tratamento de Gripe H1N1

publicidade:

A maioria dos casos de pessoas que contraíram a gripe não precisaram de internação hospitalar ou do uso de antivirais. Porém, em alguns poucos causos foi preciso o tratamento com medicamentos e a observação clínica são necessários para garantir a recuperação do paciente. Além, da vacina que é dada nos postos de saúde uma vez ao ano.