Apendicite Supurada: Riscos, Cirurgia, Recuperação e Fotos

O que é a apendicite?

O apêndice é um órgão vestigial localizado na junção do intestino delgado e o intestino grosso e possuí um fundo cego. Embora varie de tamanho, o comprimento médio do apêndice é de aproximadamente 10 cm em adulto. A apendicite é um inchaço do apêndice. Sintomas típicos são dor no abdômen, próximo ao umbigo, que piora gradualmente ao longo de várias horas. As causas mais comuns de apendicite são infecções e obstruções.

Classificação e Tipos de Apendicite

A apendicite é amplamente classificada nas seguintes categorias:

  • Apendicite aguda.
  • Apendicite Sub-Aguda.
  • Apendicite Crônica.
  • Apendicite Recorrente.
  • Apendicite não obstrutiva.

Apendicite Supurada: Riscos, Cirurgia, Recuperação e Fotos

Apendicite aguda:

A apendicite aguda é uma condição em que o indivíduo pode sofrer inflamação súbita do apêndice. Isso geralmente é causado pela obstrução do lúmen, resultando em invasão da parede do apêndice pela flora intestinal. A matéria infectada e fecal pode entrar no peritoneu, o que pode levar à peritonite potencialmente fatal nos casos em que ocorre a rupturas do apêndice. Esta condição é comumente vista em pessoas na faixa etária dos 20 á 30 anos, mas pode ocorrer em todas as idades.

Apendicite sub-aguda:

Alguns dos episódios de apendicite aguda tendem a diminuir espontaneamente antes de atingir o estágio agudo. Tais casos são chamados de apendicite sub-aguda. Esta é uma condição provável recorrente. A obstrução do lúmen devido a hipertrofia linfoide ou fecalitos moles é presumida para aliviar espontaneamente permitindo a subsidência da inflamação e seus sintomas.

Apendicite crônica

O exame patológico do apêndice às vezes pode revelar cicatrizes e espessamentos, sugerindo uma inflamação aguda antiga e cicatrizada. Isso é chamado de apendicite crônica. Esta condição geralmente leva a queixas de dor abdominal inferior direita persistente. O apêndice ressecado mostra evidências de ulceração e cicatrizes mucosas antigas, fibrose da parede apendicular e infiltração por células inflamatórias crônicas.

Apendicite recorrente:

Se a apendicite não atinge uma condição completa, o apêndice pode precipitar ataques recorrentes. Esta condição é conhecida como apendicite recorrente. Estes ataques são mais leves e os pacientes permanecem sem sintomas entre os ataques. Também o exame físico durante esses períodos sem sintomas é normal.

Apendicite não obstrutiva:

Esta é uma condição menos crítica, que como o nome sugere, não envolve obstrução e não há muita distensão, mas quando a membrana serosa está envolvida, a peritonite localizada se desenvolve levando a queixas de dor na fossa ilíaca direita. Tal inflamação geralmente termina por gangrena, supuração de fibrose ou resolução. A apendicite não obstrutiva em muitos casos é uma fase inicial de apendicite subaguda, crônica ou recorrente.

Epidemiologia da apendicite

A apendicite é geralmente vista em pessoas com idade entre 10 e 30 anos, mas pode afetar pessoas de qualquer idade.

Causas e fatores de risco da apendicite

A causa exata da apendicite não é inteiramente clara, no entanto, as duas causas comuns são:

  • Infecção, possivelmente infecção estomacal
  • Obstrução, como um pedaço duro de fezes sendo preso no apêndice, levando à infecção do apêndice.
  • Em caso de obstrução, quando as bactérias entram no apêndice, elas se multiplicam rapidamente, fazendo com que o apêndice fique cheio de pus além, de inchado. Se a apendicite não for tratada, o apêndice explodirá e as bactérias serão liberadas infectando outras partes do corpo como o revestimento do abdômen ou sangue.

Sinais e sintomas de apendicite

Os sintomas da apendicite geralmente começam com dor no abdômen. A dor se desenvolve de repente e aumenta a gravidade ao longo de várias horas. A dor pode ser locais diferentes no abdômen nos estágios iniciais, mas gradualmente tende a se estabelecer no lado inferior direito do abdômen perto do umbigo. A aplicação de pressão na área torna a dor pior, assim como andar e tossir.

Apendicite também pode levar a outros sintomas, incluindo:

Náusea.
Vômitos.
Diarréia
Prisão de ventre.
Perda de apetite.
Temperatura alta.

Tratamento para a apendicite

Em casos de apendicite leve, os antibióticos podem ser úteis para tratar a inflamação. No entanto, na maioria dos casos, a remoção cirúrgica do apêndice é necessária. O procedimento de remoção do apêndice é uma apendicectomia.
Laparoscopia: O laparoscópio é um pequeno tubo contendo uma câmera de vídeo leve e pequena. A laparoscopia envolve fazer uma série de pequenas incisões no abdômen, através das quais o laparoscópio é inserido. O laparoscópio permite que o cirurgião visualize o interior do abdômen com grande detalhe sem ter que fazer grandes incisões. O apêndice pode então ser removido através dessas pequenas incisões. A apendicectomia laparoscópica causa cicatrização mínima e tem um tempo de recuperação mais rápido do que a apendicectomia tradicional.

Aplendectomia Tradicional: Pode haver casos em que a apendicectomia laparoscópica não seja o procedimento recomendado e, portanto, a apendicectomia tradicional será necessária. Uma apendicectomia tradicional deixa uma cicatriz maior e tem um tempo de recuperação maior. Vários fatores que levam à apendicectomia tradicional são:
Casos em que o apêndice já estourou, veja os exemplos abaixo:

Apendicite Supurada: Riscos, Cirurgia, Recuperação e Fotos

  • Pacientes com tumores em seu sistema digestivo.
  • Mulheres que estão no primeiro trimestre da gravidez.
  • Pacientes que tiveram cirurgia abdominal prévia repetida.

Testes para diagnóstico de apendicite

A apendicite não é fácil de diagnosticar. A apendicite tem muitos sintomas semelhantes a outras condições, tais como infecções do trato urinário e gastroenterite. Quase metade das pessoas que sofrem de apendicite não tem sintomas e apêndices típicos em algumas pessoas está localizada em diferentes partes do corpo como na pélvis, atrás do fígado ou atrás do cólon.

Um exame físico completo geralmente ajuda a diagnosticar os sintomas típicos da apendicite. No entanto, se os sintomas não são típicos, outros testes podem ser necessários para descartar outras condições antes de confirmar o diagnóstico. Como por exemplo:

Exames de sangue.
Testes de urina.
Imagem de Ressonância Magnética
Tomografia computadorizada. A tomografia computadorizada também provou ser um meio confiável de detecção de apendicite.
Ultra-som. Isso geralmente é usado em crianças, pois não emite radiação e é mais seguro.

Complicações

É comum uma perfuração livre do apêndice fazendo com que as fezes e o pus extravasem a alça intestinal, causando complicações por proliferação de bactérias. A septicemia e a trombose também pode ocorrer bem como a formação de abcessos bacterianos.

Apendicite Supurada: Riscos, Cirurgia, Recuperação e Fotos

Recentes

Roupas para Luau: Dicas do que usar

Opções para se divertir são o que não faltam se você é uma pessoa que prefere algo mais calmo uma noite em um barzinho...

Receitas de Café da Manhã Saudável: 10 Opções Fitness

Essa urgência em conseguir alcançar o corpo perfeito é de fato uma das grandes preocupações da maioria das pessoas atualmente, quem nunca idealizou parar...

Cabelo Curto Loiro: Cortes e tons de loiros que serão tendência

Quer dar um ''Up'' no visual, eu indico que você aposte no corte curto caso, você queira ousar ainda mais se jogue no loiro...

Realinhamento capilar: Uma técnica que pode salvar seus fios

Por mais que esteja surgindo uma onda de aceitação por parte das mulheres em relação a seus cabelos cacheados e crespos, ainda tem uma...